Sudica - sudica.com.br
Dicas Sobre Calopsita
Sábado - 18 de Julho de 2015 às 13:24

    Imprimir


Nas planícies das regiões áridas e semi-áridas da Austrália, a Calopsita encontra seu habitat.

Vista sempre aos bandos na natureza, a calopsita é encontrada nos mais diferentes tipos de habitat, mais comumente no interior do continente, desde as florestas abertas até regiões semi-áridas, e terras agrícolas, geralmente próximos a vales onde possa encontrar água com mais facilidade. São igualmente vistas em regiões com fazendas e parques, jardins, rodovias próximos de cidades.

A quantidade de calopsitas que fazem parte do bando pode variar de poucas dezenas a várias centenas delas. Os machos e fêmeas vivem juntos dentro do mesmo bando.

Os bandos de calopsitas são bem ruidosos ao se deslocarem de um local a outro, e tem como objetivo permitir que seus membros se ouçam, assim é possível alertar uns aos outros dos perigos eminentes, principalmente dos ataques dos falcões, seu maior predador.

No norte da Austrália, as calopsitas são extremamente nômades, em constante busca por alimentos e árvores (veja este vídeo!) onde possam servir de moradia.

Ao sul, são aves migratórias entre os meses de agosto e setembro, permanecendo nesse período para reprodução até março do ano seguinte, período que o alimento é abundante.

As calopsitas são pássaros ágeis e rápidos, voam aproximadamente a 60km por hora, por isso podem alcançar milhas de distância em poucos minutos.

O principal alimento das calopsitas na natureza são as sementes de árvores e de gramas e as culturas agrícolas, particularmente o trigo. Após alimentarem-se, têm como hábito descansarem nas árvores mais próximas.

O calor na Austrália pode tornar-se extremamente intenso no meio do dia, nesse período as calopsitas procuram sombras e permanecem inativas por uma ou duas horas, cochilando ou dormindo de forma intermitente, para logo em seguida, sairem em busca de água, em direção a rios ou lagos. Após isso, voltam a alimentar-se retornando aos seus abrigos antes do entardecer.

As calopsitas são conhecidas por estarem em constante alerta, logo alçando vôo caso se sintam ameaçadas.

Normalmente, as calopsitas já estão ativas antes mesmo do nascer do sol, reiniciando então suas viagens em busca de alimento e água.

As calopsitas se sentem atraídas por uma espécie de eucalipto (eucalyptus camaldulensis) principalmente para seus ninhos que são feitos nos buracos dessas árvores.

Para as calopsitas em época de reprodução, o dia a dia é um pouco diferente e bem cansativo. O casal precisa incubar os ovos, e tomar conta dos filhotes, tarefas estas que são divididas. Geralmente a fêmea permanece no ninho na maior parte do dia, enquanto o macho sai em busca de alimento. À noite, o macho fica com as tarefas de incubar e alimentar a prole. O ninho é feito em buracos de árvores mortas e a postura varia entre 2 a 7 ovos.

As calopsitas na natureza começam a reproduzir-se antes mesmo de 1 ano de vida, a mortalidade de filhotes é alta durante as primeiras semanas de vida e a maioria não atinge idade adulta para reprodução. Somente os mais fortes sobrevivem e alcançam essa fase.

Alimentação

Foi realizado um estudo pela Australian Wildlife Research (publicado em 1/2/1987) sobre a alimentação das calopsitas na natureza, na região de New South Wales (Australia) entre 1980 a 1982. Locomovendo-se sempre aos bandos (constatou-se que na média de 27 aves), a calopsita costuma alimentar-se no chão das sementes caídas, e no caso das sementes de sorgo e de girassol, o fazem diretamente nas suas plantações. Bandos maiores do que 100 calopsitas foram formados somente durante os períodos de escassez de alimento, se dirigindo às regiões menos áridas.

Calopsitas demonstraram evidente preferência pelo sorgo do que pelas sementes de girassol, e quanto as demais sementes, percebeu-se que apreciavam as mais novas e macias.

Verificou-se que as calopsitas se alimentaram de aproximadamente 29 tipos de sementes, incluindo 4 tipos de grãos. e 17 de sementes de gramas. Sorgo foi de longe o mais importante item da alimentação (60% em relação às demais sementes), as sementes de girassol somente 6%, e 19,3% das sementes de gramas.





URL Fonte: http://sudica.com.br/noticia/3153/visualizar/